top of page
  • Foto do escritorDifusora FM

Voluntários de Chapecó fazem mutirão em município gaúcho

Equipes de voluntários que foram de Chapecó para Arroio do Meio, no Rio Grande do Sul, trabalham desde as 7 horas da manhã desta quarta-feira, dia 22, auxiliando na reconstrução da cidade gaúcha, bastante prejudicada pelas enchentes que atingem o estado. O grupo foi dividido em várias frentes.


De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Chapecó, são quatro frentes de trabalho com mais de 200 voluntários. Uma delas atua no “bota fora” de móveis, outra na limpeza de três avenidas e retirada de entulhos na rua. Uma terceira equipe, com quatro caminhões-pipa, faz a lavação das ruas onde já foi retirado o entulho, com outra frente, composta por 8 a 10 pessoas, indo nas casas retirar o barro e fazer a limpeza.


Também há uma equipe de coordenação dos 12 caminhões caçamba e cerca de 10 máquinas pesadas, como patrolas, escavadeiras, carregadeiras, rolo e bobcats, que atuam na limpeza e desobstrução de ruas.


De acordo com o engenheiro da Secretaria de Serviços Urbanos de Chapecó, Eduardo Olivo, todas as ruas do centro e lotes de Arroio do Meio estão prejudicados, com muito lodo e lixo acumulados. Algumas máquinas e caminhões-pipa auxiliam nessas ações. Outra equipe ainda atua no interior, abrindo acessos de estradas.


Há ainda uma equipe de apoio e cozinha, que prepara a alimentação dos voluntários. A comida foi levada de Chapecó. Uma equipe de 50 pessoas foi ainda na segunda-feira, dia 20, para preparar o alojamento e a cozinha, com um comboio de 30 caminhões e mais 20 veículos menores indo na madrugada de terça-feira, dia 21. A volta deve ocorrer na madrugada de segunda-feira, dia 27.


O prefeito João Rodrigues e a primeira-dama Fabiana Matte Rodrigues acompanham os trabalhos. A intenção também é realizar apresentações artísticas em algumas noites, com a orquestra de Teutônia, Joca Martins e Guri de Uruguaiana.


Segundo assessoria de imprensa da Prefeitura de Arroio do Meio, as enchentes atingiram 90% da cidade. Ficaram desalojados 11.400 pessoas ― o município tem 22 mil habitantes. Outras 350 estão desabrigadas e foram acolhidas em abrigos municipais. Cerca de mil casas foram destruídas.

Por Oeste Mais



90 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page