top of page
  • Foto do escritorDifusora FM

Tempestade tropical perde força e não deve virar furacão, indica Defesa Civil de SC

A Defesa Civil de Santa Catarina informou na tarde desta segunda-feira, dia 19, que a Tempestade Tropical Akará não deve virar furacão. Identificado pela Marinha do Brasil na última sexta-feira, dia 16, na costa do estado do Rio de Janeiro, o sistema está em alto mar, entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e não deve se aproximar da costa.


Nos próximos dias, conforme se desloca para a região Sul, Akará perderá força gradualmente devido à temperatura da água, que se encontra mais baixa em relação à costa do Sudeste, onde o sistema se originou.


“A tempestade está em alto mar na altura do Litoral de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul e não oferece perigo aos catarinenses e nem aos gaúchos porque a tempestade está muito afastada da costa, mais de 200 km, e deve perder força gradativamente. A condição para virar um furação é muito pequena, mas estamos monitorando o fenômeno”, informou o meteorologista da Epagri/Ciram, Marcelo Martins.


Trajetória e impactos


A atualização das previsões segue indicando que o ciclone se desloca em direção ao Sul, com seu centro posicionado distante, em alto mar. Além disso, o impacto mais significativo é esperado também em alto mar, onde há expectativa de ondas entre 3 e 4 metros, aumentando o risco para navegação e pesca.


Nas proximidades do Litoral catarinense não há influência do ciclone e a ondulação permanece com direção sudeste e variando entre 1,5m e 2m. Nestas mesmas regiões os ventos sopram com intensidade moderada, com valores médios entre 20 km/h e 30 km/h, e rajadas de até 50 km/h, sem riscos para ocorrências.


“É importante ressaltar que o sistema está sendo monitorado, e as previsões podem sofrer alterações, portanto, é de extrema importância o acompanhamento diário das atualizações das previsões, notas, Avisos e Alertas emitidos pela Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil (SDC), Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (EPAGRI/CIRAM), e pelos órgãos oficiais de Meteorologia e Oceanografia, como o Instituto Nacional de Meteorologia e a Marinha do Brasil”, informa nota divulgada pela Defesa Civil.

Por Oeste Mais



24 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page