• Caroline Sacardo

Suspeito de abusar de crianças em creche de se apresenta à polícia

O homem suspeito de ter abusado sexualmente de pelo menos 22 crianças se apresentou à Polícia Civil na tarde desta sexta-feira (28). Ele estava foragido desde o dia 18 de maio, quando a polícia solicitou a prisão preventiva dele.


A informação foi confirmada pelo delegado Aden Claus Ceber Pereira, responsável pelo inquérito policial. A polícia segue investigando o caso. Segundo o delegado, ele se apresentou à delegacia de Barra Velha, e não há previsão para que ele seja encaminhado para Itapema.


Pelo menos 22 famílias denunciaram casos de abuso sexual contra o dono de uma recreação infantil em Itapema – Foto: Paulo Metling/NDTV


Segundo a Polícia Civil de Barra Velha, ele não estava na cidade, apesar de ter se apresentado no município. Ele se apresentou após tratativas da polícia com advogados e familiares do suspeito, e foi encaminhado ao sistema prisional.


O Inquérito Policial do caso deverá ser concluído em até 10 dias e encaminhado ao Poder Judiciário e MPSC (Ministério Público de Santa Catarina).


As vítimas e os pais já foram ouvidos pela Polícia Civil de Itapema. A suspeita é que o homem, que é dono do estabelecimento, abusava das crianças matriculadas na recreação infantil.


São pelo menos 22 denúncias, de pais de crianças entre 1 ano e 9 meses, até 7 anos.

Pais e responsáveis das crianças fizeram protestos em frente à escolinha e na Delegacia de Polícia Civil de Itapema, pedindo justiça pelas crianças.


Relembre o caso


Pelo menos 22 famílias denunciaram casos de abuso sexual contra o dono de uma recreação infantil em Itapema. A mãe de uma menina de 4 anos de idade foi a primeira a denunciar publicamente os abusos contra o dono do centro de recreação infantil, em um relato emocionante, ela teve que ter sangue frio para gravar a filha contando os abusos.


A pequena frequentava o centro de recreação há pouco tempo. No vídeo gravado pela mãe, a menina chama o suspeito de “tio”. Ela ainda pede que a mãe não conte nada a ele. “Nunca, nunca?”, pergunta a criança. “Nunca, nunca. Promessa ‘de dedinho’”, responde a mãe.


A tática usada pelo suposto abusador surpreende. Ao invés de ameaçar ou colocar medo nas crianças, ele dizia que fazia aqueles atos porque as amava e era amigo delas, apesar de as crianças relatarem dor.


A mãe acionou o Conselho Tutelar depois de ouvir o relato da filha. A criança passou por um exame de corpo de delito. “Tive que colocar minha filha em posição ginecológica aos 4 anos de idade, tem noção do que é isso?”, relatou a mãe.


Fonte: ND+

221 visualizações0 comentário