• Bruno Ramos

Santa Catarina deve receber novo lote de vacinas contra Covid-19 nesta semana

Fiocruz deve entregar 5 milhões de doses do imunizante Oxford/AstraZeneca ao Ministério da Saúde; Estado já recebeu mais de 1 milhão e 400 mil doses

Santa Catarina deve receber mais um lote de vacinas contra a Covid-19 nesta semana. A previsão é de entrega ao Ministério da Saúde de cerca de 5 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, segundo a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Até 1º de maio, cerca de 18,4 milhões de imunizantes devem ser encaminhados ao Programa Nacional de Imunizações.


O número de doses encaminhadas a Santa Catarina deve ser informado até a terça-feira (13) pelo superintendente do Ministério da Saúde no Estado, Rogério Ribeiro.


Na semana passada, o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos liberou 2 milhões de doses da vacina contra covid-19. Nas próximas semanas, serão entregues 4,7 milhões, de 19 a 24 de abril; e 6,7 milhões, de 26 de abril a 1º de maio.


O cronograma da Fiocruz prevê que 100,4 milhões de doses serão produzidas em Bio-Manguinhos até julho, a partir de IFA (ingrediente farmacêutico ativo) importado da China. Mas a partir de agosto, a Fiocruz também deve começar a produzir IFA para vacinas contra Covid-19.


Até 2 de abril, 4,1 milhões de doses foram produzidas no Brasil e entregues ao Ministério da Saúde, e mais 4 milhões foram importadas prontas da Índia, onde foram fabricadas pelo Instituto Serum.


A Fiocruz chegou a prever que liberaria 27 milhões de doses em abril, mas revisou esse cronograma e reduziu a previsão para 18,8 milhões. Segundo nota divulgada pela fundação, “por tratar-se de uma nova tecnologia e da complexidade de implantação da produção da vacina Covid-19, foram necessários ajustes no cronograma”.


A produção da vacina em Bio-Manguinhos ocorre graças a um contrato de encomenda tecnológica assinado no ano passado com os desenvolvedores da vacina: a farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca e a Universidade de Oxford, no Reino Unido.


A Fiocruz prevê entregar 21,5 milhões de doses em maio, 34,2 milhões em junho e 22 milhões em julho. Para produzir essas vacinas, Bio-Manguinhos conta com a chegada de carregamentos de IFA vindos da China. Até o momento, já estão no Brasil insumos suficientes para a produção de 35 milhões de doses, o que cobre a produção até maio.

No mês de abril, está prevista a importação de mais três remessas do insumo. Já em maio, estão previstas quatro remessas, e o último lote chegará em junho.


A Fiocruz também trabalha para incorporar a tecnologia de produção do IFA à planta industrial de Bio-Manguinhos e prevê que, no segundo semestre, será possível entregar 110 milhões de doses a partir de ingrediente farmacêutico ativo produzido na própria instituição. Dessa forma, o Programa Nacional de Imunizações deve receber, até o fim do ano, 210,4 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca produzidas no Brasil, além de 12 milhões de doses importadas da Índia.

7 visualizações0 comentário