top of page
  • Foto do escritorBruno Ramos Kuengeski

Redução do diesel nas distribuidoras pode demorar para chegar aos postos de SC; entenda

A Petrobras anunciou a redução do preço do diesel nas distribuidoras. A medida começa a valer nesta sexta-feira (8), mas o reflexo dessa queda pode demorar a chegar nos postos de combustíveis das cidades de Santa Catarina.


Isso porque, conforme explica Joel Fernandes, vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis), o diesel é um dos combustíveis com pouco giro nos postos urbanos. Por isso, pode demorar para que os donos mudem o preço, já que o combustível que ainda está nos postos foi comprado pelo valor mais alto.


Já nos postos de rodovia, que tem um giro maior, devido ao fluxo de caminhões, por exemplo, devem repassar a redução mais cedo, pois vão precisar comprar o combustível com o novo preço mais rápido.


Redução foi anunciada pela Petrobras


A redução anunciada pela Petrobras foi de R$ 0,27 por litro no preço médio de venda de diesel A para as distribuidoras, que passará a ser de R$ 3,78 por litro. Segundo a estatal, o ajuste é resultado da análise do mercado internacional.

Considerando a mistura obrigatória de 88% de diesel A e 12% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor terá uma redução de R$ 0,24 por litro, passando para, em média, R$ 3,33 a cada litro na bomba.


Dessa forma, o preço médio do diesel A S10 nas bombas pode atingir o valor de R$ 5,92 por litro. Esta estimativa considera o Levantamento de Preços de Combustíveis da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Brasil (ANP) para a semana de 26/11 a 02/12/2023, que indicou um valor médio de R$ 6,16 por litro no país.


Em Santa Catarina, o preço médio do diesel S10, conforme a ANP, é de R$ 6,14. Em Florianópolis, é de R$ 6,27.


O valor que chega para o consumidor, no entanto, tem peso de outros fatores, como impostos, mistura de biocombustíveis e margens de lucro da distribuição e da revenda. Joel Fernandes, vice-presidente do Sindópolis, inclusive reforça a reoneração dos impostos que acontece em 1° de janeiro de 2024, que deve aumentar os preços em R$ 0,35.

Por NSCTotal


1 visualização0 comentário
bottom of page