• Caroline Sacardo

Menino diagnosticado com leucemia precisa de doação de sangue em Chapecó

Na última semana a família divulgou que a irmã do menino, Giovana, é compatível e poderá ser a doadora no transplante de medula que Leonardo necessita para a sequência do tratamento de saúde.


Os primeiros sintomas, com o aparecimento de ínguas, foram percebidos em dezembro do ano passado e, desde então, ele vem lutando contra esse tipo de câncer que afeta as células do sangue e da medula óssea.

A mãe do menino relatou que ele ainda precisa passar por algumas sessões de quimioterapia e, por isso, ainda vai necessitar de transfusões de sangue.


O tipo sanguíneo de Leonardo é mais raro: A negativo, e a família solicita que as pessoas continuem fazendo doações com regularidade e também se habilitem a serem doadoras de medula óssea. Na região, o ponto de coleta mais próximo é o Hemosc de Chapecó e o agendamento pode ser feito nas Secretarias Municipais de Saúde.


Dilvane adiantou que a partir da consulta é que a família saberá quais os próximos passos e terá uma previsão sobre a possibilidade de efetivar o transplante de medula entre os irmãos. Ainda há uma série de novos exames a serem realizados para traçar um planejamento para o transplante.


Ela aproveitou para agradecer as orações e as doações de sangue feitas pelos moradores da região. A mãe de Leonardo reiterou que a colaboração é importante para salvar vidas. “No hospital, todo dia vemos uma nova criança chegando com esse tipo de doença. Por isso, as doações são importantes sempre”, observa.


Dilvane Schuh da Silva chamou ainda a atenção para a necessidade de doadores de medula, uma vez que a chance de compatibilidade é rara. Ela comemorou o fato de a filha poder contribuir para o tratamento do irmão e disse que a família segue esperançosa de uma pronta recuperação nos próximos meses.

Fonte: Rádio Integração

31 visualizações0 comentário