• Caroline Sacardo

Jovem intubada ao dar à luz morre por complicações da Covid-19 sem conhecer a filha

Andressa Josefa dos Santos de 25 anos não tinha comorbidades



Mãe e filha precisaram ficar internadas em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após parto (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução G1)


Morreu nesta sexta-feira, dia 21, a jovem Andressa Josefa dos Santos, de 25 anos, que foi intubada com Covid-19, após passar por um parto de emergência. A jovem foi intubada no dia 10 de maio, na UTI de um hospital em Santos (SP), e morreu sem conhecer a filha.

Andressa, que não tinha comorbidades, apresentou os primeiros sintomas da doença no dia 25 de abril, e começou o tratamento contra a Covid-19. Ela foi internada no dia 2 de maio, ao apresentar cansaço e falta de ar. Após apresentar piora no quadro clínico, a equipe médica optou por realizar um parto de emergência. O bebê nasceu com 7 meses e precisou ir para a UTI neonatal.

"Minha irmã era uma guerreira, lutou até o fim, mas Deus tem um propósito na nossa vida, e hoje se encerra a trajetória dela aqui na Terra, com 25 anos. Não entendemos, o corpo dela se foi, mas vive com a gente para sempre em nossos corações, e fica sua filha linda e guerreira, Anna Clara", disse a irmã, Daiane Josefa dos Santos.

Segundo o namorado de Andressa, o empresário Gilberto dos Santos Neto, no parto, ela precisou ser intubada rapidamente, e não teve a chance de conhecer a filha. Ela também chegou a ter a função renal afetada, precisando fazer hemodiálise, além de uma infecção. Depois de quase três semanas de internação, ela não resistiu. Parentes homenagearam a jovem nas redes sociais.

"A Andressa sempre representou o lado bom das pessoas. Ela fez a gente acreditar que não existe maldade. Ela era companheira, empolgada, alegre, e sem dúvida seria uma ótima mãe", lamenta Gilberto.

Ao G1, ele contou que a família está arrasada, mas encontrando incentivo no bebê, que se recupera aos poucos. A pequena já foi extubada, testou negativo para a Covid-19 e foi encaminhada para o quarto. Familiares juntam forças para conseguir lidar com o luto e cuidar da menina assim que tiver alta.

"Os últimos dias têm sido cheios de angústia e sofrimento, mas, também, repletos de amor. A Andressa não nos deixa apenas com a lembrança de sua inocência, carisma e cumplicidade. Nos deixa, também, com uma parte dela, que se chama Anna Clara", finaliza Gilberto.


Fonte: G1

309 visualizações0 comentário