• Caroline Sacardo

Imposto de Renda: Câmara reduz taxação de dividendos

A Câmara dos Deputados concluiu na tarde desta quinta-feira, 02, a votação da proposta de reforma do Imposto de Renda (IR) de pessoas físicas, empresas e investimentos. O texto segue, agora, para o Senado.


A única mudança aprovada pelos parlamentares durante a votação dos destaques foi a redução da tributação de lucros e dividendos para 15%. Foram 319 votos a 140. O texto-base da proposta, aprovado nesta quarta, 1º, previa a tributação de 20%.


Dividendos são a parcela dos lucros de uma empresa distribuída aos acionistas. Os dividendos são isentos de impostos no Brasil desde 1995, e a taxação de 20% era uma das principais demandas da oposição. A aprovação do destaque fez parte de um acordo costurado para viabilizar a votação.


Destaques são propostas que buscam modificar o texto principal do projeto. A conclusão da votação acontece somente após a análise dessas sugestões.


Autor do destaque, o deputado Hugo Motta (Republicanos-PB) disse que a redução trará "avanços significativos" para a proposta e que a mudança é um "gesto em reconhecimento à importância do setor produtivo".


"Nós estamos fazendo justiça, pois estamos cobrando de quem pode pagar. Estamos cobrando um pouco mais daqueles que mais têm, para que com isso o País tenha condição de com a sua arrecadação investir nas áreas prioritárias, em saúde, em educação, em segurança pública, no social", disse.


Sessão do Plenário da Câmara dos Deputados - Foto: Agência Câmara de Notícias


O projeto


O projeto de reforma do Imposto de Renda foi enviado em junho pelo governo ao Congresso como parte da reforma tributária. Após um acordo construído pelo relator da matéria, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), com parlamentares da oposição e do governo, a proposta foi aprovada por ampla maioria no plenário – foram 398 votos a favor e 77 contrários.


Entre os principais pontos do projeto, estão:

  • isenção do imposto para trabalhadores celetistas que recebem até R$ 2,5 mil;

  • manutenção da possibilidade da declaração simplificada para todas as faixas de renda;

  • redução de 7 pontos percentuais no imposto das empresas e de até 1 ponto percentual na alíquota de contribuição social.

Após a votação do texto-base na quarta-feira, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), elogiou o acordo para a votação e disse que os parlamentares construíram um "texto de Estado".


Fonte: G1

10 visualizações0 comentário