• Bruno Ramos

Homem que matou filha em Rodeio estava decidido a matar ex-mulher, diz delegado

Claudinei Tizon ficou em silêncio durante depoimento à Polícia Civil; ele teve a prisão preventiva aceita pela justiça e ficará detido no Presídio Regional de Blumenau

A Polícia Civil ouviu nesta terça-feira (13) o depoimento de Claudinei Tizon, de 42 anos, suspeito de matar a própria filha com golpes de faca e ferir outras quatro pessoas de uma mesma família, em Rodeio, no Vale do Itajaí. O crime aconteceu na noite desta segunda-feira (12). Segundo a polícia, o homem não aceitava o término do relacionamento com a mãe da vítima.


De acordo com o delegado Ronnie Esteves, responsável pelo caso, o homem ficou em silêncio durante o depoimento. No entanto, não restam dúvidas de que Claudinei estava decidido a matar a ex-mulher e qualquer pessoa que tentasse impedi-lo.


Ainda nesta terça-feira (13) a Justiça aceitou o pedido da Polícia Civil e converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva. Com isso, Claudinei seguirá detido no Presídio Regional de Blumenau até o fim da investigação.

Polícia Civil investiga local do crime - FOTO: ND+


Nos próximos dias, a Polícia Civil deve ouvir as demais vítimas e testemunhas envolvidas no caso. Todos já receberam alta do hospital, incluindo Claudete, ex-mulher do agressor e mãe da jovem vítima de homicídio.


Claudinei deve responder pelo feminicídio da filha, por dois feminicídios tentados (da ex-mulher e da sogra), por duas tentativas de homicídio qualificado (do sogro e do cunhado), além de porte ilegal de arma. Segundo a polícia, o homem não tem passagens pela polícia.


Autor não foi avisado legalmente sobre medida protetiva


Horas antes do crime, a mãe de Géssica Tizon, Claudete entrou com pedido um de medida protetiva contra o ex-marido. No entanto, de acordo com o delegado Ronnie Esteves, o homem não chegou a ser intimado oficialmente sobre a medida.


A Justiça chegou a acatar o pedido, no entanto, quando o oficial foi até a residência do homem para informá-lo oficialmente, já encontrou o local com rastros de sangue. De acordo com o delegado Esteves, indícios apontam que Claudete já vinha sofrendo ameaças do homem há algum tempo.

0 visualização0 comentário