• Caroline Sacardo

Flor do Sertão e Tigrinhos comemoram 26 anos de emancipação

Nesta quarta feira, 29 de Setembro, Flor do Sertão e Tigrinhos, municípios localizados do Oeste de Santa Catarina, completam 26 anos de emancipação político-socio-administrativa.


A denominação Flor do Sertão, conforme os moradores mais antigos, foi por causa de uma árvore de flores amarelas encontrada no meio da floresta no início da colonização, que julgaram ser o Ipê Amarelo, árvore que se tornou símbolo do Município.


No ano de 1952, algumas famílias de colonos gaúchos como a família de Otávio Cenedeze que foi a primeira, a família de Waldemar Silveira Ramos e de Geraldo Bresolin, oriundos dos municípios de Guaporé, Casca e Serafina Corrêa, aqui chegaram atraídos pelas notícias de terras férteis, as quais proporcionavam grandes safras, a seguir vieram outras famílias do Sul, entre elas destacava-se os nomes Piaia, de Barba, Santin, Biazoli,


Tigrinhos, foi assim denominada a localidade, desde o inicio, por terem sido encontrados e caçados dois filhotes de tigre, num riacho próximo à sede desse distrito, que dista 11 quilômetros da cidade de Maravilha.


A colonização de Tigrinhos iniciou em 1.945, sendo pioneiro Paulo Noll; seguido depois pelas famílias Schneider e Kohl. O 1º comerciante foi Alberto Kohl. Tanto a 1º serraria quanto o 1º moinho dessa localidade foram instalados por Guilherme Reckers que depois transferiu residência para a cidade de Maravilha, sendo muito conhecido por sua dedicação à cura através de chás, a medicina alternativa. Era nonagenário e conhecido como Nono Reckers.


No dia 29 de setembro de 1995; o Ex.mo. Sr. Paulo Afonso Evangelista Vieira - Governador do Estado, se fez presente em Flor do Sertão e Tigrinhos, onde na presença de grande número de pessoas assinou a Lei n.º 9.922, criando os novos municípios, que deixaram de ser distrito de Maravilha.





61 visualizações0 comentário