top of page
  • Foto do escritorDifusora FM

Delegado João Miotto detalha ação da Polícia Civil na resolução de casos


Maravilha vem sofrendo com ação de criminosos nos últimos tempos e em razão disso, a união das polícias do município está sendo muito importante. Depois da entrevista com o Capitão PM Junior Tatsch na semana passada, hoje (25), quem ocupou os microfones da rádio Difusora para esclarecer fatos foi o delegado da Delegacia de Comarca de Maravilha, João Luiz Miotto.


Conforme ele, é de extrema importância falar com a comunidade através da imprensa para que a população participe e se engaje cada vez mais com o trabalho prestado pela Polícia. A Delegacia de Comarca é responsável pela parte residual dos crimes, após a implantação da Delegacia Regional.


“Houve uma divisão dos trabalhos da Polícia Civil e temos hoje a Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente e Idoso (DPCAMI), Delegacia Regional e Divisão de Investigação Criminal (DIC), e a parte residual, que é nosso trabalho é responsável pelos crimes patrimoniais, furtos, estelionato e mal tratos a animais”, explicou.


Ao mês, Miotto esclareceu que são muitos os atendimentos na Delegacia de Comarca, desde casos menores a mais complexos que demandam uma investigação que demora mais, no caso do estelionato, por exemplo. As ocorrências com mais frequência que chegam até a comarca são de crimes patrimoniais e maus tratos a animais, em Maravilha. Na região, onde também é prestado serviço, os atendimentos variam.


Em Cunha Porã, segundo o delegado, a maior parte das denúncias são de violência contra mulher. E esse número subiu comparado com os anos interiores.


Furtos e arrombamentos são outro caso que tem preocupado muito a população, principalmente comerciantes e empresários. Esse tipo de ocorrência conforme o delegado, sempre ocorreu, agora com mais frequência e tem recebido atenção especial das autoridades. “Temos percebido pela população essa sensação de insegurança, devido que esses crimes estão se espalhando. Como estão ocorrendo no interior, em bairros, no centro da cidade também, dá também a sensação de que aumentou esses crimes, mas podemos dizer que não houve um aumento tão expressivo. Muitos são situações isolados, grupos que já cometeram mais de um crime. Até a finalização da investigação as vezes demora um pouco, por vários fatores, de provas. Até mesmo quando a pessoa é presa em flagrante não tem os requisitos para que ela fique presa. Aí temos a sensação que é preso e solto, mas temos leis que precisam ser respeitadas”, destacou.


Homem preso em flagrante por furto e arrombamento em Maravilha


Sobre o caso da prisão em flagrante de um homem, após furto e arrombamento na madrugada de hoje, o delegado frisou que depende da situação para que o mesmo permaneça em prisão preventiva, de acordo com as normas do judiciário.


Dicas de segurança à população quanto a crimes de estelionato


“Muito importante a gente alertar a população quanto a isso, porque esse tipo de crime ocorre também por meios de internet, por que muitas vezes a pessoa quer acreditar que recebeu um valor, por exemplo, e acaba caindo em um golpe. Os criminosos são preparados para isso. Golpes financeiros e empregos online se concentram em ganhar a confiança da vítima, que entende que está sendo beneficiada de alguma forma”, orienta.


O delegado frisa que é preciso estar atento a esse tipo de golpes financeiros, bem como o golpe do nudes. “Fica um alerta para que as pessoas sejam um pouco mais críticas quanto a isso. Não existe você ganhar um benefício sem ter feito alguma transação ou algo do tipo. Os criminosos vão sempre mudando o golpe. É preciso estar atento a essas situações”.


Maus tratos a animais


Sobre esse assunto, João Miotto, destacou que esse é um fato corriqueiro em Maravilha e na região e tem aumentado muito, mesmo com a contribuição da população. A divulgação do trabalho, a conscientização das pessoas também é importante para acabar com esse tipo de crime.


Prende e solta


Sobre esse assunto que tanto dá o que falar, quando um indivíduo com passagens pela Polícia Militar acaba sendo solto novamente após ser preso, o delegado esclareceu que muitas vezes não condiz com a verdade e que os primeiros ouvidos nesses casos são os policiais militares. “A questão do criminoso ser sair da delegacia antes da polícia não condiz com a verdade, mas pode ocorrer de sair no mesmo dia, pois a prisão tem várias fases a captura pela PM, ratificação da voz de prisão, porque alguns casos não tá em flagrante. A gente tem que agir conforme a justiça permite”, destacou.



146 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page