• Caroline Sacardo

Bolsonaro diz que vai 'recompor' corte de R$ 43 mi em BRs de SC

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou na manhã desta quinta-feira, 27, que vai “recompor ao longo do ano” os recursos que foram cortados de Santa Catarina no Orçamento para obras em rodovias federais. A declaração foi feita a apoiadores na saída do Palácio do Planalto.


As tesouradas do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), no Orçamento de 2022 cortaram recursos para obras em rodovias federais no Estado de Santa Catarina. No total serão R$ 43.203.780 a menos em relação ao previsto. As informações foram publicadas na edição de segunda-feira do “Diário Oficial da União”.


Estão na lista de rodovias impactadas as BRs 101, 470, 280 e 163.

BR-101 – Km 408 – Km 413 – Araranguá – R$ 20.000.000

BR-470 – Navegantes – Rio do Sul – R$ 18.047.385

BR-280 – Jaraguá do Sul – Porto União – R$ 4.296.996

BR-163 – Guaíra (PR) – Itapiranga (SC) – R$ 859.399


Questionado sobre o impacto da decisão, o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) em Santa Catarina informou que o plano de trabalho das rodovias é feito com base no Orçamento. Ou seja, diante dos recursos disponibilizados será organizado o planejamento para 2022.


“Parte da imprensa de Santa Catarina bateram em mim que eu cortei R$ 38 milhões do Orçamento de Santa Catarina. Eu cortei R$ 3 bilhões do Brasil todo. O Parlamento fez um Orçamento além da previsão de receita, sou obrigado a cortar. Estão me esculhambando em Santa Catarina porque eu cortei R$ 38 milhões. Mas, a gente vai recompor ao longo do ano, porque tem excesso de arrecadação. Mas, é impressionante a crítica. Por que não criticou os parlamentares, que inflaram o Orçamento?” Jair Bolsonaro, presidente


SC responde por mais de 41% do total no Dnit


O corte de R$ 43,2 milhões previsto no Orçamento da União para investimentos em rodovias federais no Estado de Santa Catarina em 2022 representa mais de 41% da tesourada total no Ministério da Infraestrutura, que foi de R$ 177,8 milhões no total.


Em valores, o Ministério da Infraestrutura foi o quinto mais atingido.


O corte foi inteiramente concentrado em recursos para obras em rodovias realizadas pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).


Após a tesourada, a pasta conta ainda com R$ 8,2 bilhões em recursos discricionários.


Fonte: ND Mais

31 visualizações0 comentário