• Caroline Sacardo

Adolescente suspeita de envolvimento na morte de policial civil em SMO é apreendida

Uma adolescente de 13 anos foi apreendida em Xanxerê, suspeita de envolvimento na morte do policial civil, Neife Werlang de 46 anos em outubro em São Miguel do Oeste. A garota foi encontrada na casa do pai. Ela era amiga da filha do policial, que também é suspeita. A defesa da adolescente não se pronunciou.


Neife foi encontrado morto com golpes de faca no pescoço em um dos quartos da própria casa em 15 de outubro do ano passado. Segundo a polícia, conforme análise de imagens, as adolescentes, após o crime, roubaram dinheiro que o agente guardava na residência e fugiram do local.


O cumprimento do mandado de apreensão da adolescente de 13 anos foi feito pelo delegado Albino Araújo na quarta-feira, 20. Segundo ele, a determinação judicial indicava que a garota deveria ser apreendida, mas ele não deu detalhes da participação dela no crime.


A jovem foi encaminhada para a Polícia Cientifica para a realização de exames e, depois disso, ao CASE, Centro de Atendimento Socioeducativo de Chapecó.


Foto: Cristian Lösch/Portal Peperi


Inquérito


A investigação apontou que duas adolescentes, a filha do policial e uma amiga dela, foram as responsáveis pelo crime e praticaram atos infracionais análogos aos crimes de homicídio qualificado pelo motivo torpe, emboscada e traição. Outros dois adolescentes também estão envolvidos.


A faca usada no crime teria sido descartada quando as jovens fugiram do local. O objeto foi apreendido e passou por perícia. Na casa dos outros dois adolescentes, a polícia apreendeu parte do dinheiro que teria sido roubado.


A Polícia Civil informou que, após três semanas, concluiu as investigações e encaminhou o procedimento policial ao Poder Judiciário no dia 5 de novembro. Além das adolescentes, as investigações também concluíram que os outros dois adolescentes praticaram atos infracionais análogos ao crime de favorecimento real.


As investigações continuaram e foi possível identificar o itinerário dessas adolescentes durante o dia e após o crime, e que planejaram o homicídio – conforme análise de imagens e mídias extraídas após representações da Polícia Civil.


Também foi identificado que as adolescentes ficaram cerca de duas horas dentro da residência da vítima, escondidas. A vítima chegou por volta das 19h15, após o expediente de trabalho e foi atacada, mediante golpes de faca, em um dos quartos da residência.


Fonte: G1/SC

340 visualizações0 comentário